Mostra de Cinema continua suas exibições no Amélio Amorim


cinzas

Cinzas: Foto: Divulgação

A Mostra de Cinema Contemporâneo do Nordeste exibe um curta e dois longas-metragens, nesta quinta, 17 de março, no Centro de Cultura Amélio Amorim – espaço administrado pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) – em Feira de Santana, com sessões às 10h e às 14h. A entrada é gratuita.

Na sessão das 10h, o público pode acompanhar Pacific, um documentário criado a partir de filmagens de momentos registrados por passageiros durante um cruzeiro, a bordo do Pacific, rumo a Fernando de Noronha. O longa-metragem apresenta o olhar de si mesmo dos atores, que também são autores. O documentário, de 2009, é dirigido por Marcelo. A classificação é livre.

Às 14h, começa a exibição do curta Cinzas, que conta a história de Toni, morador de favela, envolvido no mundo do crime e que não está em um bom dia. As angústias de Toni são semelhantes com as de tantos outros personagens da vida real. Dirigido pela baiana Larissa Fulana de Tal e inspirado no conto de Davi Nunes.

Logo após, acontece o longa O Signo das Tetas, que narra a história de um padre em busca de seu passado, percorrendo as estradas do interior do Maranhão, em direção a sua terra natal. O personagem se encontra no limiar entre a razão e a loucura, entre o caos e a fé. O filme é dirigido por Frederico Machado. A classificação é de 14 e 16 anos, respectivamente.

A Mostra de Cinema Contemporâneo do Nordeste é um projeto apoiado pelo Fundo de Cultura da Bahia e tem como objetivo possibilitar a exibição de filmes de destaque, produzidos no nordeste brasileiro, em que o público dificilmente teria acesso nas salas de cinemas tradicionais.

Confira  o trailer do documentário Pacific:

Sobre o Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 04 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais.

 

VEJA MAIS:

Anúncios