Rolé Brasil celebra o Dia da Consciência Negra em Salvador


O projeto conta com o apoio institucional da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia

role-brasil-novembro

Na véspera do Dia da Consciência Negra, dia 19 de novembro, o Rolé Brasil por Salvador realiza seu terceiro roteiro pela cidade, desta vez pelo bairro do Pelourinho, abordando a importância histórica desse local para a formação econômica e social da Bahia. Este passeio, em especial, marca o fim da temporada do Rolé Brasil em 2016. Os professores da Universidade Estácio Rodrigo Rainha e William Martins esperam repetir o sucesso de público dos passeios anteriores. O evento, que é gratuito e dispensa inscrições, tem como ponto de encontro o Mercado Modelo, às 10h.

A história conta que a localização do Pelourinho foi estratégica: no alto, próximo ao porto e com uma barreira natural constituída por uma elevação abrupta do terreno, verdadeira muralha de até noventa metros de altura por quinze quilômetros de extensão, facilitando a defesa da cidade. “Na ocupação de Salvador a população mais rica, conforme seguia a tradição europeia, ocupava as regiões mais altas, transformando o entorno do que conhecemos como Pelourinho em uma área de ricos casarões, ruas em que a nobreza baiana, branca, circulava e exibia seus modos. Já na Cidade Baixa ficavam os mercados, os pescadores, as capoeiras e os mercados de escravos”, explica Rodrigo Rainha.

A construção do Pelourinho passou pelas mãos dos povos negros que aqui foram trazidos. De lá para cá, todo esse processo histórico culminou em marcas vivas da presença das culturas negras no local, seja no som da percussão do Olodum, de todo o brilho e riqueza dos afoxés e blocos afros que por ali desfilam, nas vestimentas que são vendidas nas lojas da região e até na culinária de seus restaurantes. O bairro sintetiza toda a resistência dos povos negros e de toda a riqueza cultural trazidas por eles. “O século XX vê o surgimento de uma nova cultura, um novo jeito. Mas como a reconstrução de nossa identidade é poderosa, o símbolo do atraso, do abandono, vira o símbolo da ocupação, da cultura”, diz William Martins. O Rolé Brasil pretende justamente fazer com que o público se conecte com as muitas histórias do Pelourinho até então desconhecidas.

   Roteiro

  • Mercado Modelo (ponto de encontro)
  • Elevador Lacerda
  • Palácio Rio Branco
  • Prefeitura
  • Museu da Misericórdia
  • Monumento da Cruz Caída
  • Praça da Sé
  • Catedral Basílica de Salvador
  • Igreja de São Domingos Gusmão
  • Largo do Terreiro de Jesus
  • Largo do Pelourinho.

Sobre o Rolé Brasil – O objetivo do projeto Rolé Brasil é difundir a ideia de que a cidade é uma plataforma em constante construção, sendo a história um elemento importante para sua compreensão e potencial transformação. Acreditando nesta premissa, a M’Baraká e a Estácio estendem o Rolé a outras capitais do país seguindo os passos da própria universidade, que nasceu no Rio e aos poucos ampliou sua presença em todo o território nacional.

 

Para a equipe do Rolé, a cidade é um ambiente multidisciplinar e os passeios estimulam o diálogo entre a população, o espaço urbano, a memória e as potencialidades da cidade. Para o professor Rodrigo Rainha, coordenador de pesquisa do projeto, “são roteiros pensados para serem feitos a pé, onde os guias são professores e o público é levado a uma aula a céu aberto. A rua é a sala de aula. O quadro é a paisagem urbana e o papo é sobre história, geografia, cultura, arquitetura, urbanismos e meio ambiente… sobre a alma e a identidade da cidade.” Sobre as diferenças de sotaque, Isabel Seixas, do Estúdio M’Baraká  adianta: “Se no Rio, Salvador e BH é Rolé e em São Paulo, Floripa e Fortaleza a gente vai de Rolê, tudo bem, o convite é o mesmo. Vamos dar um passeio descontraído por ai!”

 

Serviço:

O quê: Rolé Brasil por Salvador

Quando: 19 de novembro (sábado), às 10h

Onde: Ponto de encontro no Mercado Modelo

Quanto: gratuito, sem inscrição prévia

Duração: aproximadamente 2 horas e meia

Informações: https://www.facebook.com/RoleBrasil

Anúncios