Espetáculo Condenados aborda faces da homofobia


ZZESPETaCULOcONDENADOS[1]

Divulgação

Como lidar com a violência? Qual é a melhor forma de combater a homofobia? E se ao invés da tentativa de diálogo os homossexuais revidassem com a mesma moeda? Estes são alguns dos questionamentos provocados pelo espetáculo teatral Condenados, que estreia nesta sexta-feira (14), no Espaço Xisto Bahia.

Em sua terceira temporada, Condenados traz como tema a discussão em torno da homofobia em diferentes pontos de vistas: do agressor, da sociedade e de quem sofre o ato. A montagem da SouDessa Cia de Teatro compõe o Projeto Sou Mais, contemplado no Edital Apoio a Grupos e Coletivos Culturais 2016, do Fundo de Cultura, secretarias da Fazenda e de Cultura do Estado da Bahia (SecultBa).

Dirigido e escrito por Filipe Harpo, o espetáculo traz um conjunto de histórias vividas por 20 personagens interpretados pelo cantor e ator Taric Marins (Banda de Boca; Bessame Mucho, Mar Morto) e o ator Bruno Roma (Gota D´água, Transmetropolis, A Comida de Nzinga). O texto provoca o expectador abordando conflitos familiares, preconceito velado e violência gratuita.

O Espetáculo Condenados segue em cartaz no Espaço Xisto Bahia (Biblioteca dos Barris), nos dias 14, 15, 21 e 22 de julho, sempre às 20h. Depois segue para o Centro Cultural Plataforma nos dias 28, 29 de julho; 04 e 05 de agosto, sempre às 19h. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

O Projeto Sou Mais foi contemplado no Edital Apoio a Grupos e Coletivos Culturais 2016, da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. O Sou Mais nasce como manutenção das atividades da SouDessa visando pesquisar, difundir repertório e montagem de espetáculos com temática LGBT. A ação contará com temporada de espetáculos de repertório da Cia, além de novas montagens. O projeto também trará atividades de capacitação e iniciação artísticas (Cênica, Iluminação, Cenografia).

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s